Estou em: Início » Pesca » Sobre a pesca industrial.
 
Tamanho do texto: Maior | Normal | Menor

Sobre a pesca industrial.

Pesca Industrial

Os rios Amazonas e Tocantins deságuam no Oceano Atlântico, na costa norte do Brasil, entre os estados do Pará e Amapá. Esta área, chamada de Estuário do Amazonas, estende-se na linha de costa destes Estados formando um ambiente aquático complexo com uma alta produtividade biológica. Tais características propiciam a pesca industrial, sendo esta o exercício das atividades de captura, conservação, beneficiamento, transformação ou industrialização de pescado.


A pesca industrial teve início no Pará em 1968, quando as primeiras empresas instalaram-se em Belém. Com o advento da expansão de nossas águas territoriais para a exploração econômica exclusiva, de 12 para 200 milhas náuticas em 1970, a frota pesqueira paraense teve um significativo implemento, chegando a 50 embarcações camaroneiras e cerca de 20 piramutabeiras.


Atualmente, a piramutaba e o camarão rosa são os alvos principais da pesca industrial na região, ressaltando-se o crescimento da captura do mapará, da dourada, do pargo, da gurijuba e do bagre.


Para garantir a sustentabilidade da captura do camarão rosa, por determinação do Ibama, esta atividade é autorizada entre os meses de fevereiro à novembro, ficando totalmente paralisada, anualmente, do período de 15 de Outubro a 15 de Fevereiro por ser o período do defeso conforme Instrução Normativa MMA nº 09, de 14 de Setembro de 2004.


As principais características das embarcações que exploram essa atividade são as seguintes: barcos de aço, medindo em média 22 m de comprimento, com tonelagem bruta de l 00 t, motor principal de 375 HP, equipados com sistema de congelamento à bordo, ecosondas coloridas, rádio, piloto automático, guincho, bússolas e GPS.


A arte de pesca utilizada para captura do camarão rosa é a rede de arrasto de fundo com portas (duas redes por barco com a utilização de tangones). A conservação do pescado ocorre em câmaras frigoríficas. A autonomia varia entre 45 e 60 dias de pesca, produzindo uma captura anual de cerca de 20 toneladas de cauda de camarão rosa por barco.


A Sepaq promove em parceria, além de outros, com o Sindicato das Sindicato das Empresas das Indústrias de Pesca e das Empresas Armadoras, Produtoras e Proprietárias de Embarcações de Pesca Industrial do Estado do Pará (Sindpesca) , a Feira do Peixe Popular e a ‘Peixe nos Bairros’, que tem como objetivo garantir o abastecimento de pescado de boa qualidade o mercado interno a preços baixos e também promove em parceria com o Ministério da Pesca e Aquicultura a Semana do Peixe para incentivar o consumo de pescado no Estado do Pará.


Instituições Parceiras:


Av. Gentil Bittencourt, 827 - Batista Campos, CEP 66.040-174, Belém-Pará-Brasil.
Fone(s): (91) 3110-5900.
Fax: (91) 3110-5923.
E-mail: sepaq@sepaq.pa.gov.br
2013 © SEPAq - Secretaria de Estado de Pesca e Aquicultura.